Follow by Email

segunda-feira, 24 de fevereiro de 2014

Projeto de apicultura ajuda na renda de famílias em Monteiro Lobato, SP

Iniciativa da Universidade de Taubaté propõe formação de apicultores.
Projeto contribui com cerca de 30% da renda de famílias da zona rural.


Do G1 Vale do Paraíba e Região (*)


Famílias de Monteiro Lobato(SP) têm sido beneficiadas por um projeto de apicultura desenvolvido pela Universidade de Taubaté (Unitau).  Chamada “Cirandas do Mel”, a iniciativa, que contribui com cerca de 30% da renda de pelo menos dez famílias da cidade, começa a se estender para formação de apicultores em outras cidades do Vale do Paraíba.


Por meio das aulas de apicultura, a família de Helena Aparecida Rosa dos Santos, de 46 anos, pôde melhorar suas técnicas e ampliar a produção do mel para venda. Ela trabalha há 18 anos com o marido na extração e produção de mel, mas foi quando o projeto começou, em 2004, que conseguiu aprimorar suas técnicas.
"Desde o começo tivemos várias aulas e conseguimos orientação para fazer compras e procurar veterinários. [O projeto] Também nos mostra como ter maior segurança com o mel", disse a participante do projeto. Para a produção, Helena utiliza uma casa com estrutura completa para extração disponibilizada para todos os participantes.

"Ganhamos todos os equipamentos e isso é ótimo, porque nunca conseguiríamos comprar. Hoje onde a gente chega o mel vende. Aqui no meio do mato nós não teríamos essa oportunidade de melhorar", afirma a apicultora que vive na na zona rural, a 17km do centro do município. Segundo a apicultora, somente no ano passado, ela e marido venderam cerca de 800 kg de mel (o quilo custa em média R$ 16).
Além dos trabalhos de Helena e do marido, a filha de 17 anos também está envolvida com o projeto, que envolve adolescentes e crianças em trabalhos relacionados a apicultura e voltados para educação. “Minha filha adora mexer com abelha, ajudamos ela também, até porque abelha é assim, igual família”, diz. Para abranger toda a família, a iniciativa também oferece aulas de artesanato para produção de itens com a temática do mel.

Projeto

A coordenação do projeto é feita pela Professora Lídia Barreto, responsável pelo Centro de Estudos Apícolas da universidade.  “A ideia é sensibilizar o núcleo familiar para que pudesse andar melhor. Os jovens achavam que o fim deles seria na enxada, mas a transformação de toda a comunidade foi uma coisa incrível”, afirmou Lídia.
De acordo com a professora, atualmente, cerca de dez famílias participam do "Cirandas do Mel", tendo um impacto positivo de até 30% na renda dos participantes. Ao todo, foram investidos cerca de R$ 300 mil no projeto, obtidos por meio da universidade com empresas parceiras.

“A comunidade também é importante para formação do aluno e do professor. O projeto já é replicado em outras cidades como Redenção da Serra e São Luiz do Paraitinga. Também estamos investindo na juventude rural, para que consiga transformar lideranças”, disse.

(*) Colaborou: Daniel Corrá

Nenhum comentário:

Postar um comentário